Entenda o fenômeno que causa a “chuva excepcional”, motivo das chuvas intensas no sul do Brasil

Entenda o fenômeno que causa a “chuva excepcional”, motivo das chuvas intensas no sul do Brasil. Reprodução: canva

O Brasil possui uma imensa extensão territorial e uma diversidade climática, por isso, fenômenos meteorológicos são comuns. A passagem do “cavado”, um tipo de vento que causa chuvas intensas, deixou o sul do Brasil em estado de alerta, devido à “chuva excepcional” que causou estragos em vários municípios.

O estado de Santa Catarina foi fortemente atingido nos últimos dias. Grande parte das rodovias do estado estão interditadas depois de diversos deslizamentos e fissuras em vários trechos. 

Então, o que causou chuvas tão intensas nessa região? Continue a leitura e saiba mais sobre o “cavado”, um fenômeno meteorológico que pode ocasionar fortes chuvas consideradas excepcionais por onde passa. 

O que é o fenômeno “cavado”? 

O termo “cavado” é usado na meteorologia para caracterizar um tipo de vento que traz consigo fortes e intensas chuvas, com a capacidade de causar grandes estragos por onde passa. 

Os “cavados” podem acontecer em qualquer região e também em qualquer época do ano. Além disso, esses ventos podem ocorrer em qualquer nível de pressão atmosférica, o que os tornam imprevisíveis.

Por isso, esse fenômeno causa o que os meteorologistas chamam de “chuva excepcional”. Isto é, chuvas que acontecem fora do período chuvoso de determinada região.  

Entenda o fenômeno que causa a “chuva excepcional”, motivo das chuvas intensas no sul do Brasil. Reprodução: canva
Entenda o fenômeno que causa a “chuva excepcional”, motivo das chuvas intensas no sul do Brasil. Reprodução: canva

A chuva excepcional geralmente ocorre em alta intensidade, e ao exemplo do estado de Santa Catarina, a quantidade de chuva poderá causar desastres, pois a quantidade é bem maior que a precipitação anual. 

É comum se confundir o “cavado” com “frente fria”, mas em determinadas condições, o “cavado” poderá causar variações climáticas ainda maiores. Veja agora, a diferença entre “cavado” e “frente fria”.   

Diferença entre cavado e frente fria

Segundo o portal UOL, a principal diferença entre “cavado” e “frente fria” é a ausência de massa de ar polar.

O “cavado” acontece em um sistema de baixa pressão atmosférica, favorecendo a formação de chuvas instáveis, que se formam ao longo do ano e o tempo inteiro, podendo causar chuvas ou não. Portanto, é um  fenômeno meteorológico comum, que aumenta a sua intensidade segundo a quantidade de umidade que recebe da região Amazônica.

Em alguns casos, um “cavado” poderá ocasionar mais chuvas do que uma “frente fria”. 

A frente fria é um fenômeno meteorológico que também desperta preocupações, visto que, além de chuvas intensas, traz consigo também uma massa polar que ocasiona quedas bruscas de e temperaturas. 

Ambos os fenômenos, são motivos de preocupações para os meteorologistas e governantes, pois, trazem consigo muitos desastres que causam muitos prejuízos à população da região atingida. 

Chuvas Continuam no mês de dezembro

O IMET (Instituto Nacional de Meteorologia) divulgou um alerta de clima severo, mais conhecido como alerta vermelho, o que indica que na região que abrange os estados do Paraná e Santa Catarina, as chuvas continuam fortes e trazendo muita destruição, com enxurradas e vendavais.

A previsão é de que as chuvas tenham intensidades entre 30 e 60 mm/h ou 50 e 100 mm/dia, além de ventos intensos (60-100 km/h), e a queda de granizo.

Devido às condições citadas, existe o Risco de corte de energia elétrica, percas nas plantações, queda de árvores e alagamentos. As recomendações do IMET são:

  • Em caso de rajadas de vento, procure não se abrigar debaixo de árvores, nem estacione veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda.
  • Desligue aparelhos elétricos e se for possível desligue o quadro geral de energia.
  • Para obter mais informações, entre em contato com à Defesa Civil, pelo telefone 199 e com o Corpo de Bombeiros, pelo telefone 193.
  • Evite sair as ruas, durante os temporais.

Leia também: 

8 passos para o sucesso do Geomarketing.

Cidades Inteligentes – o que é?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn